Protocolos antiCOVID - Escola Eleva

Com o objetivo de minimizar o risco de contaminação dentro da comunidade escolar, criamos uma Célula de Monitoramento, designada especialmente para zelar pela saúde e bem-estar de toda a comunidade Escola Eleva (colaboradores, alunos e familiares) em um retorno seguro às atividades presenciais, no contexto atual.

A célula é formada por um time multidisciplinar, contando com membros das áreas da Enfermaria, Gente & Gestão, Operações, Análise de Dados e Consultoria Médica de Infectologista e Pediatra.

A parceria com as famílias é parte fundamental dessa iniciativa de cuidado, já que a transparência em relação a sintomas e diagnósticos de alunos e contactantes domiciliares será fundamental para esse trabalho de acompanhamento e proteção da comunidade.

A Célula busca, através do monitoramento e acompanhamento dos casos suspeitos, minimizar o risco de contaminação dentro da comunidade escolar: 

- Protocolos rígidos: para garantir que alunos e/ou colaboradores que apresentarem sintomas ou tiveram contato próximo com pessoas que testaram positivo sejam afastados até que qualquer suspeita seja descartada. 
- Comunicação: para manter a coordenação e direção informados, em tempo real, da situação dentro da unidade e alertar, quando necessário, as famílias.
- Análise dos casos: para entender o comportamento e a distribuição dos casos dentro do campus, se há concentração em algum núcleo/segmento.

Quais são nossos protocolos?

Para alunos e/ou colaboradores: 

Como comunicar?

Ao se enquadrar em um dos casos abaixo (Caso Suspeito, Caso Confirmado ou Contactante Domiciliar), o colaborador ou a família do aluno devem:

Alunos: Família do aluno deve entrar em contato imediatamente com a Coordenação de Segmento. A Coordenação fará o alerta à Célula de Monitoramento.

Colaboradores: o colaborador deve entrar em contato imediatamente com sua Gestão. A Gestão fará o alerta à Célula de Monitoramento.

  • Caso suspeito:
Como reconhecer?
Ao apresentar febre ou pelo menos outras duas alterações de saúde (dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, perda de olfato, alteração no paladar, náuseas, vômito, diarréia, cansaço, diminuição do apetite e/ou falta de ar).

O que é feito?
Aluno ou colaborador será afastado e só poderá retornar às atividades presenciais com PCR negativo ou após cumprir isolamento domiciliar de 10 dias. É essencial que o aluno e/ou colaborador esteja sem sintomas há pelo menos 24h. Caso contrário, só poderá retornar às atividades presenciais mediante atestado médico 
  • Caso confirmado*: 
  • Sintomático: ao apresentar teste positivo para COVID-19, ele precisará cumprir quarentena de pelo menos 10 dias contados a partir do início dos sintomas.

  • Assintomático:  ao apresentar teste positivo para COVID-19, ele precisará cumprir quarentena de 10 dias contados a partir da realização do teste.

  • Contactante domiciliar: ao surgir pessoa confirmada no mesmo domicílio, ele precisará ser afastado das atividades presenciais e cumprir quarentena de 10 dias, contados a partir do dia em que o familiar realizou o teste. O aluno e/ou colaborador será afastado, mesmo se apresentar resultado de PCR negativo.
 
Para ilhas: 
  • 1º caso suspeito:  ao surgir o primeiro caso suspeito a ilha entra em observação pela Célula de Monitoramento;
  • 1º caso positivo: ao surgir o primeiro caso confirmado em alunos a ilha é afastada das atividades presenciais e entra em Distance Learning por 14 dias a partir do último dia de contato do caso confirmado com a ilha.

    ** O homeroom será testado e o irmão, se houver, será afastado. A ilha deste também entrará em observação.
    *** Para o caso dos professores, a ilha será afastada apenas no caso de contaminação da Homeroom ou TA. Assim, no caso da contaminação de professores especialistas, a ilha será monitorada mas não afastada.

O que significa as ilhas estarem em observação?
  • Acompanhamento mais ativo do comportamento dos alunos da ilha;
  • Aferição de temperatura ao longo do dia (realizada dentro da sala de aula)

Como as famílias serão comunicadas, caso necessário?

A comunicação sempre será feita por meio das coordenações de segmentos e/ou Célula de Monitoramento. Ela ocorrerá quando houver um caso confirmado na ilha do(a) aluno(a). Demais casos podem ser acompanhados pelo Dashboard da unidade (os Dashboards são enviados toda semana, nos Updates).


*  Reforçamos que a Célula estará em contato direto com a família dos alunos que apresentarem um dos casos acima.


No surgimento de qualquer sintoma suspeito que possa indicar COVID-19, tanto no aluno quanto em um contactante domiciliar, as famílias devem entrar imediatamente em contato com a Coordenação de Segmento. A partir disso, a coordenação irá acionar a nossa Célula de Monitoramento, que entrará em ação..