Protocolos antiCOVID - Escola Eleva
Criamos esse FAQ com a intenção de responder ao máximo todas as dúvidas que possam surgir pelos responsáveis. 

Para facilitar a busca das perguntas por temas específicos, aconselhamos a utilização da ferramenta tecla CTRL + F. Ao abrir a caixa de digitação, insira a palavra que deseja encontrar na página.

Não achou o que procurava? Clique aqui e envie sua dúvida.
Retorno
O retorno será obrigatório? Haverá a opção on-line para quem não se sentir confortável?
Entendemos que, neste momento, ainda há muita incerteza e insegurança quanto ao retorno, variando de família para família. Assim, as famílias têm a liberdade para decidir o momento de enviar os alunos de volta. Dessa forma, manteremos opções de atividades e aulas assíncronas não presenciais para aqueles que não se sentirem confortáveis com o Back to SchoolTambém, estamos estudando métodos síncronas para quem não retornar
As aulas vão voltar para todos os alunos juntos em meio período ou integral em dias alternados?
Retornaremos de acordo com o faseamento, mantendo nosso período de adaptação. Além disso, o modelo de retorno depende da série e da unidade do aluno. Eles são: 

Unidade Barra da Tijuca


Unidade Botafogo


Mais informações sobre o faseamento serão liberadas em brev

O aluno que fica em casa assiste à aula em transmissão ao vivo?
Para o primeiro momento, os alunos que acompanharão de casa, seja pelo modelo de rodízio, seja pelo não retorno ao modelo presencial, terão apenas aulas assíncronas.

Contudo, estamos estudando formas de proporcionar momentos síncronos para aqueles que estarão em casa.
Os alunos poderão assistir às aulas virtuais na escola?
De maneira geral, no modelo de retorno às aulas, a Escola estará em modelo híbrido. Assim, haverá aulas síncronas presenciais - para as turmas que estarão na escola - e aulas assíncronas para os alunos que estarão em casa - tanto pelo sistema de rodízio, quanto para aqueles cujos responsáveis não se sintam seguros para retorno.

Contudo, dependendo da sua série e unidade, a escola oferecerá as aulas assíncronas dentro da unidade, acompanhadas pela TA. E, mesmo nesse caso, manteremos o distanciamento necessário, o controle de população por área e as regras de segurança.

Além disso, estamos buscando formas de tornar viável a opção síncrona para aqueles que estarão na escola com a TA e para os que estarão em casa.
Os pais do Infantil 3 precisarão demonstrar que estão trabalhando para que as crianças voltem?
Com a atualização dos decretos da Prefeitura, não será necessário apresentar qualquer demonstrativo de trabalho dos responsáveis para o Back to School.
Operacional
Os fluxos na escola ficarão iguais a antes?
Não. Os fluxos da escola serão baseados em ilhas ou cohorts - ou seja: divisão das crianças em grupos menores que dividem os mesmos espaços e interagem só entre si. Essa divisão tem por objetivo diminuir a quantidade de contato entre diferentes crianças dentro da escola; controlar e monitorar caso alguma criança ou adulto naquela pequena comunidade apresente sintomas.
O que é o conceito de ilhas ou cohorts?
Basicamente, o conceito de ilhas consiste em redividir as turmas em grupos menores, respeitando as regras de distanciamento e controle da população por área. Quando no campus, as crianças só interagem entre si, para reduzir o contato entre alunos dentro da escola. Limitando a convivência, temos um menor risco de contaminação caso algum caso aconteça e maior precisão para rastrear onde a contaminação pode ter acontecido. Importante frisar que, claro, não temos como controlar que fora da escola todos respeitarão as ilhas, por isso é tão importante contar com a responsabilidade de todos para manter os cuidados de distanciamento, higiene e atenção para sintomas em qualquer lugar, na vida pessoal. 
Quantos alunos teremos em cada ilha?
O número de alunos nas ilhas variam de acordo com a série e a unidade da criança. O fator determinante para este tamanho é a quantidade de alunos que cabem dentro da sala de aula, respeitando 4m² por aluno. Logo, haverá ilhas de tamanhos diferentes. 


De todas as formas, este tamanho não representa mais ou menos segurança, já que dentro dos cohorts o tratamento é o mesmo, com distanciamento social, higiene e demais cuidados necessários.
As ilhas se juntam em algum momento?
Não. O objetivo das ilhas é justamente não haver cruzamento entre elas. Para isso, estamos setorizando todas as áreas comuns para manter o distanciamento e modificando horários e a grade. 

É muito importante que conversem com as crianças sobre a necessidade dessas medidas para a manutenção da segurança e saúde dentro da escola. Faremos nosso papel e buscaremos conscientizar nossos alunos sobre as novas rotinas na escola.
Vou poder levar meu filho à escola?
Sim. Contudo, a entrada de adultos no prédio da escola estará temporariamente proibida. A  exceção será para responsáveis de crianças até o 1º ano, onde apenas um adulto poderá acessar a escola até o ponto de coleta, após passar por todo protocolo de entrada e não apresentar sintomas.

Casos especiais, diferentes do exposto acima, deverão ser tratados e autorizados individualmente pelas coordenações dos segmentos.
O que meu filho precisa levar para a escola (máscara? gel?)
Para evitar o compartilhamento de objetos e garantir a segurança dos nossos alunos, eles deverão trazer para a escola uma série de itens (que estamos chamando de kit “Back to School”) que deve ser adquirido de maneira independente e conter: 
    • Garrafa d’Água (preferencialmente térmica);
    • Talheres em Metal para Refeição em Sala;
    • Jogo Americano para Cobrir Mesa na Hora das Refeições;
    • Toalha de Rosto/Mão;
    • Guardanapo (preferencialmente de pano);
    • Álcool em Gel 70%;
    • Estojo;
    • Kit com 3 Máscaras (de pano ou plástico) em Sacos Fechados, Separados e identificados como “Sujas” e “Limpas”;
    • Para o infantil, meias antiderrapantes.
As crianças terão que usar máscara o dia todo?
Crianças a partir do 6º ano, sim. Já os alunos menores deverão utilizar máscaras sempre que estiverem em locais de circulação compartilhada (corredor, banheiro, etc). Todos deverão usar máscara no transporte até a escola e durante a entrada e saída.
Os professores vão usar máscara?
Sim. Assim como todos nossos colaboradores, os professores usarão máscaras dentro da escola, exceto durante os momentos de alimentação. Estamos fornecendo máscaras transparentes para parte dos nossos professores.
Como será o uso do ar-condicionado?
Para a circulação de ar nos ambientes, portas e janelas permanecerão abertas. Além disso, o ar-condicionado será mantido em ventilação.

Essa decisão foi tomada a partir de muitas consultas com especialistas e infectologistas, cuja recomendação é somente o uso da ventilação nos ambientes, pois o ar condicionado possui a recirculação do ar e com isso pode aumentar a transmissão de vírus. Com o uso da ventilação forçada (modo ventilação) iremos simular a circulação natural do ar.

No mais, a manutenção do ar, mesmo que para modo ventilação, foi feita para o retorno e será intensificada durante os próximos meses. Estamos garantindo que haverá troca de ar constante entre o ambiente interno e externo.
Como vai funcionar essa questão do uso de luvas nas crianças?
Não será obrigatório o uso de luvas para nossos alunos e de maneira geral, também não recomendamos. Trabalharemos numa intensa rotina de conscientização e aprendizado sobre a higienização das mãos. Além disso, dispomos de dispensers de álcool em gel 70% espalhados por toda a escola e também sabonete líquido nos banheiros para que essa nova rotina de sanitização das mãos seja possível.
Como será o momento de refeições?
As refeições serão servidas em sala de aula. O serviço será através de marmitas biodegradáveis/recicláveis - exceto para o Infantil, que continuará no modelo de prato feito - com duas opções: uma com proteína animal e outra sem proteína animal. Neste primeiro momento, as refeições não serão servidas com suco - por isso, alunos devem levar garrafas com bebida (suco ou água) de casa. Além disso, o fruit time não acontecerá e a cantina estará fechada. Logo, cada um deverá também levar seu lanche. O objetivo é minimizar o risco de contágio através da manipulação múltipla dos alimentos. 

Para este momento, os professores, TAs e auxiliares acompanharão todo o serviço, logística e higienização até o 3º ano. Do 4º ao 12º ano, trabalharemos com o “Lunch Captain”: aluno responsável pelas atividades do almoço, no dia determinado.

Reforçamos que cada um dos alunos deverá ter seu kit de objetos pessoais, e será responsável pela limpeza posterior dos itens.
Meu filho poderá levar a marmita de almoço? Ela será armazenada?
Seu filho poderá trazer também a marmita do almoço. Contudo, não conseguiremos armazená-la e aquece-la no horário do almoço. Além disso, ela deverá seguir as regras de nutrição do handbook da escola.
Meu filho poderá levar a marmita servida pela escola para casa?
Não. Como forma de preservarmos os princípios sanitários, não será permitido que o aluno leve a marmita servida pela empresa terceirizada para casa. Esta ação poderá gerar riscos graves à saúde, então a Escola Eleva proibirá esta ação.
Como será a educação física?
A educação física, assim como as demais aulas de especialistas (Creative Tech, Visual Arts, Music, Drama, entre outras), ocorrerão dentro de sala de aula.

O uso de espaço externo será independente da aula de PE e/ou breaks. Logo, poderão ocorrer atividades de outras disciplinas nestes espaços. Tudo isso para otimizarmos o tempo em espaços abertos, mas garantirmos a diminuição da circulação dentro da escola e o espaçamento entre bolhas. 
A enfermaria está equipada para lidar com alunos com sintomas de COVID?
Nossa equipe de enfermaria está sendo capacitada para identificar e realizar o primeiro atendimento em casos de surgimento de sintomas. Para isso, estamos garantindo que nossas colaboradoras tenham os equipamentos de proteção necessários e também os instrumentos, como termômetro e oxímetro. 

Além disso, para diminuirmos o risco de contaminação, estamos capacitando nossa equipe de coordenação e agentes para pequenos atendimentos e primeiros-socorros. 

Também, estamos montando um posto de atendimento de enfermaria logo na entrada das nossas escolas, para que seja possível realizar a segunda aferição de temperatura  quando necessário e evitar que pessoas sintomáticas acessem as dependências da escola.
Haverá atividades extracurriculares?
Neste primeiro momento, não. Contudo, com a evolução do cenário de contaminação da COVID-19, essa decisão poderá ser alterada. 

Pelo conceito das bolhas, não conseguimos manter as atividades extracurriculares pois aumentam os números de interação com adultos e crianças que não pertencem ao seu cohort e dificulta o monitoramento de sintomas dentro da escola.
Como fica o transporte escolar?
O transporte escolar será mantido. Contudo, assim como a Escola Eleva, a empresa terceirizada Tias Denises está adequando todos os seus processos para seguir as Regras de Ouro do decreto da prefeitura. Temos participado ativamente da construção desses protocolos para garantirmos a homogeneidade no tratamento dos nossos alunos.

Vale ressaltar, que neste caso, as bolhas serão diferentes das definidas pela escola. Assim, definimos um canal direto com a empresa terceirizada para comunicação e monitoramento de surgimento de sintomas e casos suspeitos. 
Crianças que estiverem na mesma ilha do transporte escolar poderão conviver dentro da escola, mesmo que nas aulas não sejam parte da mesma ilha? E irmãos?
Não. Nossa rotina dentro da escola está sendo planejada para que não haja nenhuma troca entre ilhas. Dessa forma, não haverá espaço para que as crianças de ilhas da escola diferentes convivam. O foco é a saúde e segurança de todos os nossos colaboradores e alunos. 
Como será feita e qual a frequência da limpeza e desinfecção das áreas comuns?
A limpeza está dividida em três categorias: a limpeza noturna, a intermediária e a recorrente.
    • A limpeza noturna ocorrerá uma vez, entre o fim das aulas e o início do próximo dia letivo. Nela, será concentrado o processo pesado de sanitização e desinfecção, incluindo produtos como o peróxido de hidrogênio.
    • A limpeza intermediária acontecerá durante o período de aulas. Ela ocorrerá a cada três horas nas salas de aula (2x por dia) e a cada uma hora e meia nas áreas comuns (5x por dia). O objetivo é esterilizar rapidamente as superfícies de contato, com álcool e produtos menos abrasivos.
    • A limpeza recorrente será realizada durante todo o dia letivo. Ela será concentrada nos banheiros, por meio do banheirista, e nas áreas de grande circulação e contato, como corrimãos, interruptores e maçanetas. 
Saúde
Meu filho é do grupo de risco, ele voltará a aula?
Primeiramente, é de extrema importância que respondam à Ficha Médica disponível no Portal. Essa informação é fundamental para que a Escola consiga monitorar a saúde dos nossos alunos.

Em segundo lugar, consulte o seu pediatra sobre a segurança e a saúde do seu filho para o retorno. Neste primeiro momento, recomendamos que ele seja mantido em casa e acompanhe as aulas assíncronas não presenciais.

Com a evolução das fases e possível diminuição nas taxas de transmissão, o seu filho poderá retornar, desde que apresente liberação do pediatra.
Como vocês irão garantir que as crianças não serão contaminadas?
Não conseguimos garantir que nossos alunos e nossos colaboradores não sejam contaminados. Contudo, estamos trabalhando e construindo planos para minimizar os riscos e tratar rapidamente caso surja um caso positivo.

Para isso, pesquisamos protocolos do mundo inteiro, buscamos informações com os órgãos competentes dos diversos países (como o CDC, o Ministério da Saúde, a Anvisa) e contamos com consultoria especializada da infectologista Dra. Danielle Borghi. Além disso, estamos seguindo todas as normas determinadas pela Prefeitura do Rio de Janeiro, pelo Governo do Estado e pelos órgãos competentes. 

Com isso, acreditamos que estamos fazendo o melhor trabalho para diminuir as chances de contágio da nossa comunidade.
O que a escola irá fazer caso surja um caso positivo?
Além de afastar o aluno por 14 dias, iremos monitorar a sua ilha e comunicaremos a todos do seu cohort. Além disso, vamos testar o professor com PCR. Afastaremos toda esta ilha caso surja uma nova pessoa positiva, por mais 10 dias a partir do último surgimento de sintomas.
O que a escola irá fazer caso surja outro (ou segundo) caso positivo?

A partir do segundo caso suspeito e/ou confirmado, a ilha irá entrar no modelo de Distance Learning pelo período de 10 dias corridos, contados a partir da data do último caso confirmado.

Se um aluno for diagnosticado com COVID, a escola será fechada novamente?

Não. O conceito das ilhas existe, justamente, para que neste caso não haja necessidade de fecharmos toda a escola. Assim, se um aluno ou colaborador for diagnosticado como caso positivo da COVID-19, além de afastá-lo por 14 dias, iremos tratar individualmente a sua ilha e, em casos de irmãos, a ilha do mesmo. 

As crianças serão testadas e/ou monitoradas?
Assim como os colaboradores, monitoraremos de perto o surgimento de qualquer sintoma nos nossos alunos. Além disso, precisamos estabelecer um canal de comunicação direto com os pais e responsáveis para o controle de crianças que tenham contato próximo com casos suspeitos e/ou positivos.

Nestes casos, estas crianças serão afastadas por 14 dias e poderão retornar se:
    1. Apresentar atestado médico garantindo que os sintomas não são de COVID ou a criança não está infectada;
    2. Apresentar teste PCR negativo ou teste anterior com IgG positivo;
    3. Após os 14 dias de isolamento.

Dessa forma, indicamos que em casos suspeitos, os pais e responsáveis realizem a testagem PCR para permitir o retorno da ilha. Criamos a célula de monitoramento para garantir a segurança dentro da nossa escola.
Moro com grupo de risco/Sou do grupo de risco. Meu filho deverá voltar?
Esta decisão deverá ser tomada pela família. Nós, como escola, estamos preparando todos os protocolos de forma que reduza os riscos de contaminação. Além disso, monitoraremos caso algum aluno ou colaborador apresente sintomas ou seja diagnosticado com a COVID-19. Então, com este cenário, a família deverá avaliar se se sente segura para que o filho retorne.

Acima de tudo isso, o seu filho continuará tendo aulas através do modelo assíncrono não presencial.

Existem alguns protocolos que diminuem o risco ao chegar em casa, como retirar os sapatos e máscara, higienizar as mãos, trocar as roupas da rua e tomar banho. Este processo pode ser reforçado dentro de casa.
Como será o controle dos funcionários terceirizados?
Assim como qualquer pessoa que entra na escola, eles deverão passar por todo o protocolo de entrada, com aferição de temperatura, sanitização dos sapatos e mãos. Além disso, eles terão as suas próprias bolhas, então, eles não terão seus fluxos controlados e monitoraremos de perto o surgimento de sintomas e a situação do cohort.

Por fim, mesmo antes da pandemia, já mantemos um controle direto dos colaboradores terceirizados que acessam a escola. Então, reforçaremos este procedimento para evitar que mais pessoas tenham contato com nossos alunos.
As crianças poderão ser pegas no colo?

Sim, desde que o professor e/ou colaborador esteja com mãos higienizadas, de máscara e garanta que a parte do pescoço esteja limpa, antes e depois do contato.


Este gesto deverá ser evitado contudo, para as crianças menores poderá ser necessário. Então, seguiremos todas as recomendações de segurança para que nosso aluno e nosso colaborador não seja infectado.

O que significa uma ilha em observação?

Ilhas em observação são aquelas nas quais faremos um acompanhamento mais ativo do comportamento dos alunos e iremos fazer uma segunda aferição de temperatura ao longo do dia (realizada dentro da sala de aula).

Pedagógico
A carga horária será igual?
Por vezes, sim. Para evitar as aglomerações na entrada e saída da escola, precisamos modificar os horários e logo a carga horária anterior. Assim, haverá um intervalo de 25 minutos entre os horários de chegada dos segmentos e 20 minutos na saída. Logo, os períodos serão:


    Botafogo

    Infantil: 09:00 - 15:30

    Fundamental 1: 08:305 - 15:50

    Fundamental 2: 08:10 - 16:10

    Médio: 07:45 - 16:10


    Barra

    Infantil: 09:00 - 15:30

    Fundamental 1: 08:30 - 15:50

    Fundamental 2: 08:00 - 16:10

Como serão formadas as ilhas?
A definição das ilhas e rodízio é um grande desafio. Temos alguns pontos relevantes para a divisão como a diferenciação pelos objetivos de aprendizagem, a afinidade entre as crianças, a não alternância de irmãos, entre outros. 

Com isso, assim como no Class Mix, buscaremos otimizar todos estes fatores. Contudo, por nossa experiência, sabemos que nem sempre será possível. Assim, temos uma lista de prioridades para atender os critérios. Mas pedimos compreensão caso não consigamos atender todas as premissa, já que existe um limitador: a população por área da escola.
Irmãos poderão ter os mesmos dias de alternância para evitar o deslocamento das famílias todos os dias até a escola?
Priorizaremos a alocação dos irmãos no mesmo dia, na definição de ilhas e rodízios. Mas pedimos a compreensão de vocês, caso não consigamos atender esta premissa, já que existem limitadores e outros fatores na escolha. 
Posso escolher os dias em que meu filho vai à escola para melhor se ajustar à rotina da minha casa/família (ex: escolher se ele vai ser A ou B)?
A presença na escola não será obrigatória. Assim, nossos alunos poderão realizar atividades assíncronas não presenciais, mesmo nos casos em que ele esteja alocado para as aulas presenciais síncronas.

Contudo, a definição dos rodízios será feito seguindo critérios objetivos, expostos acima. Então, casos de mudanças no rodízio/ilha para melhor adaptação à rotina da família deverão ser tratadas diretamente com os coordenadores e nem sempre serão possíveis.
Até quando a escola permanecerá no modelo híbrido?
Até que seja possível recebermos todos nossos alunos na escola e que tenhamos risco de contágio suficientemente baixos. E para isso, existem alguns caminhos. Mas basicamente precisamos que o distanciamento social não seja mais obrigatório por decretos governamentais, e também que indicadores e especialistas nos garantam que não há risco de contágio comunitário na cidade do Rio de Janeiro.
Dado que as aulas retornam nos próximos dias, será necessária reposição das mesmas nos próximos meses, nos sábados ou até mesmo nos próximos anos?

Seguiremos o calendário de reposição já apresentado anteriormente.

Os que ficam em casa terão TA para acompanhar?
Não. Os TAs acompanharão apenas as turmas que estarão em aula assíncrona dentro da escola, no Infantil e Fundamental 1.
Como meu filho vai receber as aulas se ficar em casa em algum dia?

Manteremos os métodos utilizados no DL1 e DL2, mas com adaptações. Assim, do Infantil 3 ao 3º ano, eles receberão as atividades todos os dias, através do Seesaw. Já do 4º ao 12º ano, eles receberão as aulas assíncronas por meio do Google Classroom.


Estamos planejando novos métodos como a transmissão de aulas em tempo real e também o acompanhamento de professores do Grupo de Risco. Contudo, estas novas metodologias ainda serão comunicadas. 

Como acontecerão as aulas dos especialistas?
As aulas dos professores especialistas (Creative Tech, Visual Arts, Music, Drama, entre outras) ocorrerão dentro de sala de aula. Além disso, teremos certa limitação de materiais, uma vez que os objetos não poderão ser compartilhados. 

Além disso, também ocorrerão de forma online, assim como o modelo do DL1 e DL2. 
Todas as aulas serão dadas durante o retorno?
Sim. Não haverá redução nas disciplinas ministradas. Contudo, poderá haver redução na carga horária de algumas disciplinas e a metodologia será diferente.
Como o LIV vai funcionar nesse momento de tanto stress de saída da quarentena?
A equipe de Coordenação de Atendimento em parceria com o LIV já está planejando estratégias para atender esse momento tão feliz de reencontro, certos de que há muita adaptação envolvida e delicadeza necessária. Nosso projeto vai além da aula de LIV e será trabalhado como um todo no retorno às aulas.  Além disso, manteremos no DL2 tudo que nossa equipe do Laboratório Inteligência de Vida vem fazendo para auxiliar e conversar sobre os sentimentos neste novo contexto.

Se você quiser conhecer mais as campanhas do LIV de volta à escola, clique neste link.
Vocês farão outro período de adaptação para o Infantil?
Para crianças do Infantil, faremos um novo período de adaptação mas diferente da adaptação que fizemos no início das aulas. Pelo distanciamento social, não poderemos receber os pais e responsáveis dentro da escola neste novo período de adaptação.

Dessa forma, na primeira semana, o Infantil e 1º ano frequentarão a escola por apenas duas horas, com a turma dividida nos dois turnos. Depois disso, durante a segunda semana, o 100% do Infantil estará na Escola durante meio período já em ilhas. 


Com isso, esperamos que nossos alunos consigam se readaptar e aprender os novos protocolos.

Algum tipo de testagem para saber o quanto cada um conseguiu absorver de conteúdo no distance learning?
Para retorno as aulas, realizaremos testagem diagnóstica sobre os objetivos de aprendizagem trabalhados no Distance Learning e identificados pela equipe do T&L como fundamentais para o progresso dos nossos alunos. Este diagnóstico não contará como somativa e será input para priorizarmos os objetivos que serão trabalhados no Back to School.
Como irão trabalhar nos diferentes níveis de aprendizado das crianças (já temos crianças lendo na turma e outras não e é necessário manter ambos os grupos interessados)
Neste primeiro momento de retorno, para evitarmos cruzamento das ilhas, não manteremos o momento de flex - onde trabalhamos a diferenciação. Contudo, através do diagnóstico, iremos identificar os pontos de desenvolvimento dos nossos alunos e construiremos um plano de ação inicial para alcançar os objetivos esperados. E para aplicação dessas ações de diferenciação, nosso planejamento é dividir as ilhas em estações e tratar a questão dentro da sala de aula. 
Perguntas Feitas pelo PTA e por Representantes nas Reuniões de Direção
No caso das turmas do infantil - como vocês pretendem trabalhar com o distanciamento de 2m? De acordo com o que estou vendo na Europa, eles simplesmente diminuíram a quantidade de alunos por turma, pois é difícil garantir este distanciamento com os menores…
É um desafio que estamos enfrentando. Na prática, é muito difícil manter distância no infantil e, por isso, ainda estamos entendendo como faremos. Sabemos que uma quantidade grande de especialistas afirma que a quantidade e a gravidade de casos em crianças do infantil é muito menor, mas, de qualquer jeito, é ponto de atenção para nós. 

Contudo, estamos reduzindo o número de alunos por sala e/ou alterando as salas de aula para garantir que a população em sala de aula seja suficiente para mantermos o mínimo de 4m² por aluno.

Fico muito preocupada com o horário do almoço na escola. Neste momento as crianças não usarão as mascaras e a possibilidade de contaminação aumentará. E passar um dia todo de mascara é muito desconfortável, ainda mais para as crianças. Minha sugestão é que tivéssemos meio período de aula, sem almoço na escola. O resto do dia com aulas online ou atividades assincronas realizadas em casa.
Pouquíssimas escolas estão fazendo turno A e turno B, porque, ainda que resolva o problema no almoço, aumenta a quantidade de entradas e saídas, que são momentos muito mais sensíveis que almoço.

Temos também a dificuldade de horário de professores de múltiplas divisão que tem restrições de horários, assim como alguns professores horistas, o que inviabilizaria as aulas serem administradas para o turno da manhã e da tarde.

Além disso, estamos mantendo todas as regras de distanciamento e higiene mesmo durante o horário de almoço. Vamos reforçar com todos nossos alunos os protocolos de segurança para minimizar o risco neste horário, em que eles estarão sem máscara.

Vocês estão considerando de alguma forma entender alunos já com os “anticorpos” Covid para que estes possam interagir mais livremente com outros nesta mesma situação?
Seguindo os conhecimento científicos atuais das principais agências reguladoras de saúde nacionais e internacionais, a presença IgG positiva para COVID não exclui a necessidade de manter as medidas atuais de prevenção (distanciamento social e uso de máscaras).
Em relação às crianças IgG positivas, que pertencem a bolhas cujos professores e/ou alunos positivaram para COVID, deverão seguir as recomendações de afastamento,  uma vez que o exame sorológico pode oferecer a possibilidade de falso positivo, principalmente entre pessoas assintomáticas (testadas e que não apresentaram sintomas).

A máscara mal usada pode ser um vetor importante?
Sim, por isso vamos fazer trocas. E para o Lower School estamos indo para um caminho de sem máscaras em sala.


No Kit Back to School solicitamos 3 máscaras por dia, justamente para que consigamos efetuar a troca no intervalo entre 2 e 3 horas. Além disso, estamos preparando material para instruir nossos alunos e colaboradores sobre a forma correta do uso das máscaras, troca e armazenamento.

O material deveria ficar direto na escola?

Me parece que assim como a Juliana (responsável) mencionou acima, na Europa todo o material tem que ficar na escola.

Como escola, não conseguimos higienizar da forma adequada todo o material de uso individual dos nossos alunos. Sendo assim, os materiais do Kit Back to School voltarão para casa para que seja dado o tratamento correto de sanitização pelos responsáveis e assim, diminua o risco de contaminação.

As avaliações de diagnósticos serão feitas nas crianças que não puderem voltar?

Tentaremos fazer à distância, mas vai continuar o desafio do DL.

Os 50% que farão atividades assíncronas, na prática seria o que? fazer atividades o dia inteiro? aulas em vídeo com atividades?

Será, provavelmente, um formato mais próximo do DL1, com atividades assíncronas.

Não seria possível implementar uso de plataformas de videoconferência mais estruturadas para permitir as aulas online para as criancas que não puderem ir?existem plataformas exclusivas para transmissão de aulas.
Os testes que fizemos até agora nesse formato não tiveram bons resultados, mas vamos continuar testando.


Estamos analisando a possibilidade de nossos colaboradores do grupo de risco, que serão mantidos em home office, consigam dar suporte aos alunos que receberão aulas assíncronas. Contudo, não conseguimos garantir que os professores específicos da criança façam a transmissão síncrona para casa.